Todos os posts sobre Vlogs

24/03/2017Fotografia     Vlogs Dia de fotos no Largo do Boticário, RJ

Em fevereiro, minha prima Carol foi fazer um ensaio fotográfico para comemorar o aniversário de 30 anos dela. A fotógrafa, foi minha cunhada Vanessa Lauzin (fotógrafa maravilhosa, recomendo de olhos fechados). E eu como uma boa cunhada, uma boa prima e uma boa maquiadora, fui acompanhá-las para maquiar a Carol e para ajudar a Vanessa no ensaio.

Acabou que o Victor foi de “motorista” pra gente, porque estávamos com medo de irmos sozinhas. Íamos para o Parque das Ruínas, mas chegando lá cheias de bolsas e equipamentos, nos informaram que iria ter um evento, que não seria possível fazer um ensaio fotográfico naquele sábado. Xoxante. Ficamos sem saber o que fazer, meio sem opções. Aí a Vanessa lembrou desse tal de Largo do Boticário. Eu não conhecia, nem o Victor. Então colocamos no Google Maps, vimos que ficava no Cosme velho, e lá fomos nós.

Chegando lá, achamos um largo com casarões antigos, bem legal, porém pequeno. Pensamos: “É… Vamos tirar umas fotos aqui com alguns looks, depois a Carol coloca uma última roupa, eu retoco make, e voltamos para o Parque das Ruínas, só com a câmera na mão, sem os equipamentos, para não dar na cara que vamos fotografar (disfarçados de visitantes, rsrs)”. E começamos as fotos. Coloquei um batom na Carol, e a Vanessa começou a fotografá-la. Victor sentou no carro e começou a procrastinar no facebook.

Eis que então, surge uma moradora de um dos casarões abandonados (que hoje é uma “favelinha”). Vanessa toda atirada não perdeu a oportunidade, trocou uma ideia com a senhorinha, que era até meio doidinha, e ela nos mostrou um caminho por dentro dos fundos da casa/prédio dela que tinha um acesso, através de um buraco no muro, para um mega casarão abandonado e depredado. Demos R$ 50,00 pra ela, e ela nos deixou ficar o quanto quiséssemos lá. E ainda deu uma de guia turístico, mostrando todos os cômodos do casarão, contando a história de como foi depredado, de quem morou lá, de quanto está custando, etc.

Ficamos loucas! E a pessoa que tinha ido para maquiar a modelo e ajudar a fotógrafa, acabou tirando milhares de fotos de si mesma, hahaha! Enquanto a Vanessa e Carol fotografavam profissionalmente em um cômodo, eu e Victor fotografávamos amadoramente em outro. Que cenário maravilhoso! Era o meu sonho fazer fotos numa casa abandonada, meio destruída. Já posso riscar da minha lista do que fazer antes dos 30, kkkkk!

A intenção inicial era gravar um vlog de “dia de maquiadora”, mas acabou sendo totalmente o contrário, kkkk! E detalhe para fato que eu peguei os looks da minha prima emprestados para fazer as minhas fotos, hahaha! Só eu mesmo! Espero que tenham gostado, até a próxima.

Tags:
, , ,
Compartilhe
13/01/2017Turistando     Viagens     Vlogs Capitólio, MG – Minha experiência

Depois de um ano cansativo, tudo que eu queria eram as férias. E demorou a chegar, viu? Mas, de repente, 2016 deu tchau, e 2017 deu as caras, lindo e belo. O ano começou muito bem, pois eu e meu esposo fizemos uma viagem ao paraíso. Um lugar em Minas Gerais chamado Capitólio. Lagos e cachoeiras cristalinas fazem desse lugar o destino mais lindo que já tive o prazer de conhecer.

no meu canal, postei o vlog dos 4 dias que passamos em Capitólio, contando detalhes de tudo o que fizemos. As imagens ficaram lindas demais. Eu mesma fico revendo e me apaixonando cada vez mais pelo lugar. Já quero voltar. Assista aos vídeos, que abaixo de cada um deles vou passar pra vocês detalhes de hospedagens, passeios e gastos.

02/01 – O primeiro dia foi basicamente tomado pelo trajeto. Do Rio até a pousada foram 9 horas.
O GPS marcava 7:30h de trajeto. Saímos de casa às 5:00. Paramos no Graal de Itatiaia se eu não me engano, para tomar café da manhã por volta de 7:00. A conta ficou por volta dos R$50,00. Paramos ainda para abastecer (valor total de combustível no final do post), e usar o banheiro depois. Essas paradas acabaram atrasando a viagem em 1:30h.
Nos hospedamos numa pousada chamada Chão Nativo. Lá também é restaurante, e a comida é muito boa. Servem em self service ou a la carte também. A diária ficou em R$250,00, com café da manhã incluso.

Nesse dia, como já estava tarde, não fizemos nada muito extenso. Fomos conhecer o Mirante do Canion de Furnas. A localização não é muito exata, já que fica no meio da MG-050 mesmo, e você não precisa pagar nada pelo acesso. Clica aqui pra ver a localização no Google. Já comecei a ficar embasbacada com a beleza do lugar por aí. Olha isso:

Ali do ladinho do mirante tem a Cachoeira Dicadinha. Por falta de conhecimento, pegamos a parte final dela, onde as piscinas que se formam são bem pequenas. Acima de onde ficamos, atravessando a estrada, tem uma cachoeira  maior. Mas renderam umas fotos bem lindas.

 

No segundo dia fizemos um dos passeios que já havíamos programado quando estávamos pesquisando sobre a viagem. Fizemos a Trilha do Sol. Trata-se de um lugar que funciona também como camping e pousada. Em Capitólio é muito comum uma pousada/hotel ter um terreno com 1 ou mais cachoeiras dentro, e cobrar a entrada nos mesmos. E é o que a Trilha do Sol faz. A entrada custa R$35,00 por pessoa.
No meio das trilhas dá pra admirar vários cânions. Lindo demais!

Dentro do lugar existem 3 cachoeiras, a Cachoeira no Limite:

Cachoeira do Grito

Cachoeira Poço Dourado

Depois de conhecermos todas cachoeiras, já eram 14:40. Decidimos almoçar na Trilha do Sol mesmo. O preço é único e você escolhe entre frango, carne ou peixe, ou parmigiana de frango, carne ou peixe. O prato vem por padrão com arroz, feijão, farofa e batata frita. Custa R$30,00. Não achei gostoso não, eu até deixei comida no prato (o que é raríssimo), mas é bem servido. Se você for de comer pouco, peça 1 prato só e divida por dois.

De lá, fomos conhecer a Cachoeira do Filó, que fica também na estrada MG-050. Clica aqui pra abrir no Google Maps. Lá você não paga nada para entrar. Tem um estacionamento super pequeno, foi até difícil pararmos o carro. Tem uma descidinha de nada e você já está na cachoeira. Ela é grande e linda. Forma uma piscina grande pra caramba. Mas a água não é tão cristalina (pelo menos não estava quando fomos). E por ser de graça, estava faltando espaço no seco para nos instalarmos. Tinha uma galera até fazendo churrasco. Fomos embora, e não tiramos nem foto, porque o Victor machucou o pé escorregando numa pedra.

Voltamos para o hotel para tomar um banho, e decidimos ir para o centro de Capitólio (já que nosso hotel fica em Furnas, bem próximo da usina mesmo). A cidade é bem pequena, e escolhemos a Pizzaria Novo Sabor para jantar. Fica bem em frente à praça principal. Pedimos uma pizza de frango com catupiry, e saiu a R$40,00 mais ou menos.

O terceiro dia foi o dia de fazermos o passeio de lancha. Indicados pelo hotel onde nos hospedamos, fechamos o passeio que sai do Restaurante do Turvo, na verdade trata-se da Náutica Turvo (bem conhecido em Capitólio). Custou R$70,00 por pessoa. O passeio leva 2:00h e passa por 3 pontos no Lago de Furnas:

O primeiro foi Lagoa Azul:

O segundo foi no Canyon (aquele que se vê no mirante que fui no primeiro dia):

O terceiro é o paredão do Ninho dos Tucanos:

Nós não pudemos parar porque estava muito cheio de barcos, então não valeria a pena. O guia da lancha nos levou então a uma pequena ilha onde funciona um bar de cerveja artesanal. Vocês podem ver no vídeo.

Depois do passeio de lancha o tempo abriu. Almoçamos no hotel, e saiu por R$35,00 total. Então fomos para o Paraíso Perdido, outro destino pré-programado por nós. Chegando lá, que azar, a visita às cachoeiras não estavam disponíveis, porque havia chovido no dia anterior, e a queda d’água estava muito cheia. 

Partimos então para um lugar chamado Cascata Eco Parque. A entrada saiu por R$30,00 por pessoa. Lá existem 3 piscinas naturais formadas pelas cachoeiras e algumas atrações radicais, como rapel e tirolesa (valores à parte). A verdade é que as águas e as quedas estavam muito cheias e movimentadas por conta da chuva, então fomos mais para conhecer mesmo. Eu mesmo nem entrei na água. Contudo, como sempre, nos rendeu fotos lindas:

Conseguimos curtir muito pouco tempo, porque a tempestade se formou, e preferimos voltar para hotel a pegar chuva na estrada. Chegando no hotel eu tomei um banho e dormi horrores. Acordei só pra jantar. Pedimos, no hotel mesmo, uma porção de batatas fritas, que custou R$20,00, e uma porção de iscas de contra-filé, que custou R$30,00. Uma delícia e muito bem servido.

O quarto dia teve aquele gostinho de despedida. Tentamos mais uma vez ir a Paraíso Perdido, mas ainda estava fechado. É, talvez numa próxima viagem até Capitólio. Decidimos então ir a Lagoa Azul. Foi a primeira para da lancha no dia anterior, e sentimos que ainda tinha bastante coisa a conhecer por ali. A entrada custa R$30,00 por pessoa e você pode passar o dia inteiro no local, sair e voltar depois a hora que quiser, basta permanecer com a pulseirinha que eles dão na entrada. Mas o horário para entrada é até às 17:00h.

Basicamente passamos o dia enrrugando a pele na água e tirado fotos. À tarde fomos para Piumhi para almoçar e comprar queijos da Serra da Canastra. Lá não tiramos fotos, mas segue o que fizemos: almoçamos no Samuel Restaurante, comida gostosa demais, super barata e com sobremesa grátis. Gastamos por volta de R$30,00 com o almoço dos dois.

Depois pedimos indicações para o caixa do restaurante, de onde poderíamos encontrar queijos bons com um preço bacana. A moça foi bem sincera, dizendo que já não estão mais baratos a um bom tempo, mas nos indicou uma loja chamada Vila Caipira. Fomos até lá e compramos bastante coisa boa. Segue a lista:

  • Goiabada – R$6,47
  • Doce de Leite – R$7,00
  • Salaminho – R$11,56
  • Requeijão de corte – R$17,78
  • Requeijão de búfala de corte – R$18,86
  • Queijo palito – R$15,79

Depois retornamos para a Lagoa Azul e ficamos de boa na lagoa (definitivamente kkk) até cansarmos.

 

O que eu achei da cidade
Ficamos em Capitólio, mas no distrito de Furnas, bem ao lado da barragem hidrelétrica mesmo. Achei calmo, tranquilo e lindo demais. E Capitólio em si, é toda linda. Cada cantinho da cidade é especialmente belo. Destino perfeito para quem curte estar em contato direto com a natureza, pra quem busca um pouco de paz, pra quem quer “fugir” um pouco da loucura da cidade grande. Além de ser bem em conta viajar para lá.

O que eu achei do hotel
Simples que funciona. Como eu já falei no post, ficamos no Chão Nativo, que também é restaurante. O atendimento é muito bom, são bem atenciosos e cordiais. A limpeza é excelente. O quarto tem tudo o que se precisa: cama boa, ar-condicionado, chuveiro quente, frigobar e wifi. Achei o preço bem bacana também. Ah, e a comida é MUITO boa.

O que eu recomendo fazer em Capitólio
Recomendo demais fazer a Trilha do Sol, o passeio de lancha pelo Lago de Furnas, conhecer a Lagoa Azul e assistir o pôr do sol no mirante da usina hidrelétrica de Furnas. E apesar de eu não ter conseguido fazer o Paraíso Perdido, recomendo mesmo assim porque as fotos que vi são fantásticas.

O que eu recomendo NÃO fazer em Capitólio
Cada um sabe de si, mas eu não voltaria na Cachoeira do Filó. E sobre hospedagem, não recomendo ficar em Capitólio (o centro mesmo), nem em Piumhi (tínhamos visto essa opção enquanto pesquisávamos). O melhor mesmo é ficar em Furnas, pois tudo o que vai se fazer praticamente fica ao lado da barragem hidrelétrica.

Custos totais da viagem:

  • Combustível: R$354,53 (mais ou menos 1200 km rodados no total)
  • Estadia: R$1000,00 (4 diárias)
  • Alimentação: R$581,00 (8 refeições + lanches na estrada + mercadinho/besteirinhas)
  • Entradas/passeios: R$260,00 (lancha + EcoPark + Lagoa Azul + Trilha do Sol)
  • Compras: R$90,00 (queijos e etc)

Espero que eu tenha ajudado você a conhecer um pouco mais sobre o paraíso que é Capitólio. Qualquer dúvida, estarei à disposição nos comentários deste post e dos vídeos no YouTube. Até a próxima!

Tags:
, , , ,
Compartilhe
09/09/2016Turistando     Vlogs Tarde no Forte de Copacabana | Vlog

Oi gente, tudo bem com vocês? Hoje eu vim compartilhar com vocês uma tarde muito gostosa que passei no Forte de Copacabana.

Meu esposo e eu moramos no Rio de Janeiro, e vira e mexe tentamos fazer um programinha turístico aqui na nossa cidade mesmo. o Rio é grande, sempre tem muita coisa bacana e nova pra fazer. E a escolha dessa vez foi o Forte de Copacabana.

Para chegar ao Forte de Copacabana, o ideal é pegar o metrô sentido General Osório e descer nesta mesma estação. Como havia acabado de terminar as Olimpíadas, todo o caminha tinha placas guiando até o Forte, mas de qualquer forma, basta seguir até o Posto 6 da praia de Copacabana, que a entrada do Forte é logo ali.

Pra entrar você deve pagar, e o ingresso custa R$ 6,00 a inteira. Lá dentro tem o museu do Exército Brasileiro, muito completo e rico em informações. Tem também a visitação ao próprio forte, onde você pode olhar as instalações, os canhões e tudo mais. Tudo com muita informação e história.

Lá dentro tem uma Confeitaria Colombo, e uma outra cafeteria chamada Café 18 do Forte. No Café 18 você pode comprar vários cafés especiais, bem legal.

A vista é maravilhosa, e vale muito a pena o passeio, pois sai super baratinho. As fotos nesse lugar ficam maravilhosas. Vou colocar algumas aqui.

14194343_1220153734672113_2058696288_n 14218068_1220153244672162_1573991741_n 14256478_1220153741338779_552565748_n14281594_1220153748005445_163600867_n

Todas essas fotos eu postei no Instagram. Me segue por lá pra ficar por dentro de tudo o que eu posto. Meu user é @juliethsilvaa.

Lindo demais, não é? Bom, eu fico por aqui. Até a próxima!

Tags:
, ,
Compartilhe